Walerian Borowczyk: Make me Scream Again






















Docteur Jekyll et les femmes (Walerian Borowczyk, 1981)




Em parceria com o colectivo White Noise, o MOTELX - Festival Internacional de Cinema de Terror de Lisboa apresenta uma homenagem a Walerian Borowczyk (1923-2006), cineasta de culto, cuja obra tem vindo a ser reavaliada internacionalmente, acompanhando o restauro dos seus filmes, mas que em Portugal ainda não recebeu a atenção merecida.

Nascido na Polónia, Walerian Borowczyk  construiu uma obra que coloca em confronto noções de inocência e de experiência, de autoridade e de sexualidade, num tom herdado do surrealismo e do cinema primitivo, cruzando um conjunto de disciplinas que engloba o cinema, a escrita, o design, a pintura e a escultura. A sua carreira iniciou-se pelo desenho de posters e na realização de curtas-metragens de animação. Em 1958, radicou-se em Paris, onde sedimentou um percurso auspicioso na animação, apadrinhado por Chris Marker. Passou para a longa-metragem em modo live action no meio das transgressões eróticas das décadas de 1960 e 1970, chegando a capa da prestigiada revista Cahiers du Cinema. Quando enveredou por ambientes carregados de erotismo quase que arruinou a reputação.

O programa Walerian Borowczyk: Make me Scream Again repesca dois dos seus filmes mais relevantes,  La bête (1974) e Docteur Jekyll et les femmes (1981), apresentados em cópias restauradas, e contextualiza o seu trabalho na masterclass One Man Band: Walerian Borowczyk, conduzida por Daniel Bird, um dos maiores especialistas e responsáveis pela reavaliação da sua obra, que também estará presente na projeção dos filmes, para uma breve introdução, lançando algumas surpresas que não constam no programa.

Na edição de Abril de 1996 da revista Sight & Sound, Chris Newby afirmava: “Nunca vi um retrato de Walerian Borowczyk pelo que me sinto feliz. Gosto de imaginá-lo como homem de poucas palavras, nos seus setenta anos, meio-monge, meio-coruja, talvez impetuoso, com longos dedos cadavéricos. O curador do seu próprio museu erótico, nas profundezas de uma floresta, algures na França rural. [...] Talvez seja conveniente que os filmes de Borowczyk sejam um prazer obscuro, que seja necessário algum empenho em procurá-los, como se fossem livros antiquados numa livraria poeirenta."


Programa:

La bête (1975)
08.09, 19h15, Cinema S. Jorge, Sala 3

Docteur Jekyll et les femmes (1981)
10.09, 14h40, Cinema S. Jorge, Sala 3

One Man Band: Walerian Borowczyk, masterclass por Daniel Bird
10.09, 17h30, Cinema S. Jorge, Sala 2


Agradecimentos White Noise: MOTELX, Daniel Bird, Friends of Walerian Borowczyk, Paulo Soares, Rita Gomes Ferrão, À pala de Walsh


//